É uma técnica simples. Mediante a retirada de sangue da veia E SUA IMEDIATA APLICAÇÃO NO MÚSCULO, AUMENTA EM QUATRO VEZES O NÚMERO DE MACRÓFAGOS NO ORGANISMO. São os macrófagos QUE FAZEM A LIMPEZA DE TUDO, eliminando bactérias, vírus e câncer.
26
Jan 12
publicado por auto-hemoterapia, às 21:28link do post | comentar |  O que é?

A auto-hemoterapia deve ser aplicada em todos os primeiros
atendimentos médicos nos pronto-socorros e, em comunidades
carentes e áreas remotas, como medida preventiva. Nos
pronto-socorros, antes mesmo do diagnóstico
da doença que atinge o paciente. A técnica é
eficaz, barata e simples, e cura ao aumentar a imunidade em quatro
vezes.

Esta é a
recomendação que faz o autor de “Autohemotherapy
Reference Manual - Definitive Guide and Historical Review From
Bloodletting to Stemcells - A technical report by Stuart Hale
Shakman”. Shakman, PhD, é diretor executivo do Instituto
de Ciências de Santa Mônica, Califórnia, nos Estados
Unidos da América (USA).
A
auto-hemoterapia é um tratamento particularmente importante em
doenças como a malária, dengue, cólera, entre
outras  de rápida evolução, podendo levar ou
paciente à morte, e que são doenças
epidêmicas.
 
Shakman faz uma
síntese, depois de analisar centenas de livros sobre
auto-hemoterapia: “WAR ON DISEASE: MOVE AUTOHEMOTHERAPY TO FRONT
LINES”. Argumenta, que “a auto-hemoterapia poderia muito
bem ser incorporada em todos os primeiros-socorros, classes, programas
de treinamento de escoteiros, treinamento de sobrevivência, etc,
e adotado como um tratamento universal de primeira instância. Uma
vez adotadas, o paciente de qualquer doença sistêmica pode
ser colocado imediatamente no caminho para a recuperação
ou pelo menos acionar meios eficazes de defesa, enquanto a ajuda
médica é procurada e ao mesmo tempo em que ajuda
médica está tentando descobrir o que está errado e
como corrigi-lo. Auto-hemoterapia é a resposta ideal imediata em
tantas doenças”.
 
O PhD lembra
que a moderna medicina faz a retirada de amostras de sangue para o
dianóstico da doença. E então afirma “...
seria fácil e prudente, como
clínica geral, para
tirar 10/03 cc mais do que é necessário para testes e
reinjetar esta quantidade de sangue por via subcutânea ou por via
intramuscular. Assim, o paciente estaria em uma maior
posição para ficar melhor mesmo que nunca o médico
descobre o que está errado. E desta forma, o "ficar
melhor" custos nada, em contraste com o sangue, os próprios
testes que podem ser muito demorado, caro e nem sempre
conclusivos.”

Shakman é também
autor de “REFERENCE MANUAL ROSENOW ET AL "Medical Guide of
the Future" [JAMA 1938] Microbial Infection, Variation,
Localization”. Cientista (1875-1966), E.C. Rosenow foi
assíduo colaborador do jornal da Associação
Médica Norte-Americana (Jama, na sigla em inglês) e
publicou, já no terceira década do século passado
uma relação com dezenas de doenças onde a
auto-hemoterapia tinha sido provadamente eficaz. Entre elas,
câncer, hanseníase (então chamada
“lepra”), tuberculose e, até septicemia. O que quer
dizer que o uso da auto-hemoterapia curaria um paciente com
infecção generalizada.
 

Hoje, a auto-hemoterapia é provadamente eficaz em centenas
de outras doenças, segundo a literatura médica
especializada moderna. 
 
O autor de
Autohemotherapy Reference Manual - Definitive Guide and Historical
Review From Bloodletting to Stemcells - A technical
report dá destaque ao uso imediato da auto-hemoterapia em
casos de malária, Aids/Sida, ebola, entre outras doenças.
“No topo da lista de prioridades para aplicações
auto-hemoterapia a malária”, afirma.

 
Depois de considerações sobre um
método testado no tratamento da malária, Shakman defende
“a formação de pessoal indígena na
administração de auto-hemoterapia. A beleza de
auto-hemoterapia, além de sua especificidade inigualável
e segurança, é simplicidade. Operadores não
precisam ser formados em outras áreas, e programas extensos
podem ser realizadas por "exércitos" de
indígenas, trabalhadores em áreas rurais ou remotas. Se
este programa é seguido na malária, que agora infecta
centenas de milhões e mata milhões a cada ano, pode ser
importante em um ridiculamente curto período de tempo. Esta
receita que parece igualmente adequada para outros insetos, em
doenças transmitidas por vectores, e de insidiosas
doenças emergentes em misteriosa condições, por
exemplo, ebola”.
 
Citando  o
dr. Rosenow, lembra até da paralisia infantil, onde a
auto-hemoterapia foi usada com sucesso no início da
infeção. Lembra que doenças desconhecidas, cujos
doentes poderiam ser favorecidos com a aplicação da
auto-hemoterapia mesmo antes do diagnóstico, para afirmar:
“Auto-hemoterapia: A terapia é imediatamente
disponível que irá, sem dúvida, ajudar. Não
causa agravamento das condições em vítimas, mas,
sem dúvida, fornecer alguma medida de assistência em
prevenir o curso da doença  ... “.
 
Ainda recomenda que “para
garantir conformidade com esta programação, os pacientes
(ou familiares responsáveis membros) podem ser instruídos
em auto-administração como é feito atualmente nos
casos de auto-administrado terapias para o diabetes e enxaqueca.
Assumindo que não há foco persistente no hospedeiro que
continua a alimentar patógenos ou suas formas derivadas na
corrente sanguínea, auto-hemoterapia pode ser curativa. No
entanto, na presença contínua de tal foco, a
continuação da terapia seria indicada pelo menos
até que o foco é totalmente removido.”
 
AUTO-HEMOTERAPIA NO MUNDO – A
técnica defendida com tanta veemência por Shakman e
outros autores, é praticada em todo o mundo, embora por pequenos
grupos de profissionais. Um trabalho orquestrado pelos
laboratórios farmacêuticos transnacionais após a
descoberta dos antibióticos, levou a técnica ao
esquecimento com o argumento    de que a
auto-hemoterapia era velha, fora de moda, e superada pelos
antibióticos.
 
Uma vigorosa campanha
mundial pela utilização da auto-hemoterapia está
em curso.
 
No Brasil, os brasileiros,
usuários e profissionais de saúde, lutam para que a
auto-hemoterapia seja aplicada nos quatro cantos do país.
Principalmente em áreas remotas, como na região
Amazônica, e regiões de extrema pobreza, em todo
território nacional. São abundantes na internet
 relatos de cura de centenas de doenças, entre as quais
cânceres, Parkinson, Alzheimer. O médico Luiz Moura deu
didática entrevista sobre a técnica, como se vê em
http://video.google.com/videoplay?docid=-455432063378520
9094#</font>
o que permitiu a redecoberta da auto-hemoterapia no
país. O vídeo tem versões legendadas em
inglês e espanhol.
 
Já nas
primeiras décadas do século passado, a auto-hemoterapia
era provadamente eficaz nas seguintes doenças, segundo Rosenow.
Lista  no informe “Espectro da AHT segundo o dr.
Shakman”em http://inforum.insite.com.br/66763/msgs/33/
A relação médica moderna comprovando a
eficácia da técnica incorpora centenas de outras
doenças, inclusive de origem genética.

 
Na vasta literatura científica que
respalda a auto-hemoterapia, livros como “<
cite>Harald Krebs</cite>
- 2007 - 166
páginas”
no link <
cite>http://books.google.com.br/books?id=v9VCpONbKswC&printsec=fron
tcover&dq=eigenbluttherapie&cd=1#v=onepage&q=&f=false</s></cite>
 
 
 
Observação: as
traduções do texto foram feitas por http://translate.google.com.br/#

 
SERVIÇO - “Autohemotherapy
Reference Manual - Definitive Guide and Historical Review From
Bloodletting to Stemcells - A technical report by Stuart Hale
Shakman”, uma das principais referências sobre a
auto-hemoterapia em inglês, está agora disponível
em português, entre outros idiomas. Pode ser comprado no
endereço http://instituteofscience.com/books.html 
; Shakman, PhD, é diretor executivo do Instituto de
Ciências de Santa Mônica, Califórnia,
USA.
Ubervalter
Coimbra,
é
repórter.

mais sobre mim
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

16
17
19
20
21

22
24
25
27
28

29
30


pesquisar neste blog
 
Visitantes
blogs SAPO